CENE

INFORMATIVO

CALENDÁRIO

GALERIA DE FOTOS

SECRETÁRIO

WEBTV

WEBRÁDIO

BÍBLIA ONLINE

CONTATO

Regional Oeste 2

Destaques CNBB

Kota

Assembleias

Biografia dos Bispos

Representantes da CNBB participam de Audiência Pública sobre o SUS

Dom Leonardo Steiner e dom Francisco Ferrería Paz farão parte de mesa técnica
Na próxima terça-feira, 5 de julho, o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, e o bispo de Campos (RJ) e referencial da Pastoral da Saúde da CNBB, dom Roberto Francisco Ferrería Paz, participarão de uma audiência pública no Senado Federal, em Brasília (DF).
Intitulada “O Financiamento dos SUS frente aos anúncios do governo interino”, a audiência é promovida pela Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, em parceria com o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes). Um de seus objetivos é discutir os direitos básicos do cidadão, promovendo diálogo que sirva de estratégia em defesa dos direitos da população.
A audiência soma-se às mobilizações em defesa do SUS. Uma delas é a II Marcha em Defesa do SUS, marcada para o dia 6 de julho, com ponto de concentração na Catedral, a partir das 9h.


Programação

9h às 10h – Mesa 1: Abertura e pronunciamento das autoridades e grupos presentes
Participantes: Paulo Paim (senador); dom Leonardo Steiner (secretário geral da CNBB); Cornelis van Stralen (Cebes/Alames); Luiz Bassegio (projeto Direitos Sociais e Saúde); Jovita Rosa e Carlos Moura (CBJP).
10h às 12h – Mesa 2: O financiamento do SUS frente aos anúncios do governo interino
Participantes: Isabela Soares (Cebes); Ligia Bahia (Abrasco); Ronald Ferreira (Conselho Nacional de Saúde); dom Roberto Paz (bispo referencial da Pastoral da Saúde); Pedro Tourinho (vereador) e Geniberto Paiva (CBJP).

Tu es Petrus

Dom Fernando Arêas Rifan
Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney


Hoje celebraremos a festa de São Pedro, apóstolo escolhido por Jesus para ser seu vigário aqui na terra (“vigário”, o que faz as vezes de outro), seu representante e chefe da sua Igreja. São Pedro era pescador do lago de Genesaré ou Mar da Galileia, junto com seu irmão, André, e seus amigos João e Tiago. Foi ali que Jesus o chamou: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. Eles, imediatamente, deixaram as redes e o seguiram” (Mt 4, 19-20).
Pedro se chamava Simão. Jesus lhe mudou o nome, significando sua missão, como é habitual nas Escrituras: “Tu és Simão, filho de João. Tu te chamarás Cefas! (que quer dizer Pedro - pedra)” (Jo 1, 42). Quando Simão fez a profissão de Fé na divindade de Jesus, este lhe disse: “Não foi carne e sangue quem te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Por isso, eu te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças do inferno não poderão vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus (a Igreja): tudo o que ligares na terra será ligado nos céus e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16, 13-19).
Corajoso e com imenso amor pelo Senhor, sentiu também sua fraqueza humana, na ocasião da prisão de Jesus, na casa de Caifás, ao negar três vezes que o conhecia. “Simão, Simão! Satanás pediu permissão para peneirar-vos, como se faz com o trigo. Eu, porém, orei por ti, para que tua fé não desfaleça. E tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos” (Lc 22, 31-32).  E Pedro, depois de ter chorado seu pecado, foi feito por Jesus o Pastor da sua Igreja. 
São Pedro, fraco por ele mesmo, mas forte pela força que lhe deu Jesus, representa bem a Igreja de Cristo. “Cremos na Igreja una, santa, católica e apostólica, edificada por Jesus Cristo sobre a pedra que é Pedro... Cremos que a Igreja, fundada por Cristo e pela qual Ele orou, é indefectivelmente una, na fé, no culto e no vínculo da comunhão hierárquica. Ela é santa, apesar de incluir pecadores no seu seio; pois em si mesma não goza de outra vida senão a vida da graça. Se realmente seus membros se alimentam dessa vida, se santificam; se dela se afastam, contraem pecados e impurezas espirituais, que impedem o brilho e a difusão de sua santidade. É por isso que ela sofre e faz penitência por esses pecados, tendo o poder de livrar deles a seus filhos, pelo Sangue de Cristo e pelo dom do Espírito Santo” (Credo do Povo de Deus).
 “Enquanto Cristo ‘santo, inocente, imaculado’, não conheceu o pecado, e veio expiar unicamente os pecados do povo, a Igreja, que reúne em seu seio os pecadores, é ao mesmo tempo santa, e sempre necessitada de purificação, sem descanso dedica-se à penitência e à renovação. A Igreja continua o seu peregrinar entre as perseguições do mundo e as consolações de Deus, anunciando a paixão e a morte do Senhor, até que ele venha. No poder do Senhor ressuscitado encontra a força para vencer, na paciência e na caridade, as próprias aflições e dificuldades, internas e exteriores, e para revelar ao mundo, com fidelidade, embora entre sombras, o mistério de Cristo, até que no fim dos tempos ele se manifeste na plenitude de sua luz” (Lumen Gentium, 8). 

"Podemos pensar de maneira diferente, mas temos de conversar para o bem do Brasil", afirma dom Leonardo

Em entrevista à Rádio Vaticano, secretário geral da CNBB fala sobre a crise política vivida pelo Brasil 
O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, participou de entrevista na Rádio Vaticano, em Roma. Em passagem pela cidade, o bispo conversou com a equipe do Programa “Em Romaria”, da redação brasileira da emissora. 
Entre os assuntos abordados, dom Leonardo falou da conjuntura nacional, com destaque para a crise da democracia, o papel da CNBB, os Jogos Olímpicos Rio 2016, o vírus Zika e a “cultura do estupro”.
Sobre a vida política do Brasil, o bispo disse ser preciso que os governantes deem mais atenção aos interesses da população, trabalhando pelo bem de todos. “Temos um Congresso Nacional que preocupa, dado aos interesses de determinados grupos e partidos", afirmou.
Dom Leonado citou a nota aprovada pelo Conselho Permanente da CNBB, no início deste mês, que fala da PEC 015 sobre a demarcação e validação das terras indígenas pelo Congresso Nacional e sobre a maioridade penal. "No momento atual, de fragilidade, os deputados e senadores retomam esses assuntos que são preocupantes. A CNBB manifestou-se de novo contrária a essas mudanças", acrescentou. 
Dom Leonardo disse, ainda, que a CNBB se preocupa muito com a ética na política. Sentimos que  o interesse dos partidos se sobrepõe ao da sociedade brasileira”, sublinhou. 
"Nós temos insistido no combate à corrupção e também na questão do diálogo. Não se pode parar de dialogar. Nós podemos  ter pontos divergentes, pensar de maneira diferente, mas temos de conversar para o bem do Brasil. Essa tem sido nossa insistência",disse.
Para dom Leonardo, a discussão sobre política é necessária. "A discussão nos leva a uma maturação maior. Sem isso nós não cresceremos, não teremos um Brasil melhor", sugere.
Olimpíadas
A respeito dos jogos olímpicos, dom Leonardo lembrou que o evento se caracteriza pelo elemento da paz. Disse, ainda, que o Rio não é o único estado com dificuldades financeiras e que há outros em situação semelhante. "Mas é preciso olhar que temos um compromisso com o mundo, com tantas delegações, de proporcionarmos boas olimpíadas", completou. 
Com relação ao Zika, dom Leonardo falou sobre o empenho da Igreja no combate ao mosquito Aedes Aegypti. 
Violência contra a mulher
Em relação a fatos recentes sobre abusos sexuais envolvendo menores, o bispo alertou ser preciso cada vez mais defender a vida e a dignidade da pessoa. "Toda a questão do estupro, do abuso sexual, tem a ver com uma decadência da nossa época da compreensão da pessoa e, por isso, também, uma compreensão decadente da sexualidade humana: nós não somos animais", pontuou. 
A íntegra da entrevista com dom Leonardo está disponível no link: Em Romaria
CNBB com informações e foto da Rádio Vaticano. 

Assembleia do Movimento Cursilho da Cristandade em Primavera do Leste

Dos dias 24 a 26 de junho de 2016 foi realizada a Assembleia Regional do Movimento de Cursilho de Cristandade na Cidade de Primavera do Leste, com a participação de 82 cursilhistas.
Com uma necessidade de ser um movimento presente e atual na Igreja, avaliaram-se todos os trabalhos realizados, conforme a realidade de cada Grupo Executivo Diocesano (GED). Entregues à luz do Espírito Santo, atentos aos apelos da Igreja e do mundo, renovaram o compromisso de estar a serviço do próximo, levando luz aos caminhos escuros dos ambientes e do mundo atual.
O MCC em estado permanente de missão vocação com foco no protagonismo dos leigos e leigas como sujeitos na missão da Igreja foi o tema trabalhado na Assembleia juntamente com o documento DOC. 105, Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade bem como conteúdo específico do MCC alusivo ao tema.
Todos os cristãos são chamados a preocupar-se com a construção de um mundo melhor que está com as costas voltadas a Deus e nós Cristãos Cursilhistas reconhecemos o tesouro que possuímos e ofertamos. O resultado foi muito satisfatório tendo em vista as propostas de ações para 2016/17 serem bastante positivas por atender a necessidade do Movimento a nível Regional.

Encontro da IAM da Diocese de Diamantino/MT


Diocese de Diamantino realiza Encontro de Formação Para Assessores da IAM onde participaram a Paróquia São Cristovão de Campo Novo do Parecis, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Sapezal, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida e Santa Terezinha de Tangará de Serra. O encontro foi realizado nas dependências do salão Paroquial de Campo Novo do Parecis nos dias 25 e 26 de junho 2016. Participaram 34 assessores da IAM.
O encontro contou com a presença de Irmã Tania de Oliveira, Assessora Estadual da IAM e JM/MT, Frei Nelson Campregher, Assessor Espiritual Diocesano da IAM e as Irmãs Capuchinhas de Madre Rubatto.
Os participantes foram acolhidos com muita animação, Irma Tânia abordou temas como " POM, Metodologia da IAM, Ano da Misericórdia, Missão e explicação do Terço Missionário. Todos os temas abordados com muitas dinâmicas fazendo com que todos os participantes se envolvessem. No domingo iniciou com a celebração da santa missa na Matriz onde foram abençoados os terços missionários que foram confeccionados no sábado.  Durante o Envio os participantes receberam uma mensagem missionária e foram ungidos com o óleo.

Foram momentos de muito aprendizado, partilha de experiências e reflexões. Temos certeza que todos foram enviados para a Missão fortalecidos e iluminados.





5º Encontro da Pascom reflete sobre “Comunicação e Liturgia”

Dom Darci Nicioli destaca a importância da temática nas atividades pastorais da Igreja
Com o tema “Comunicação e Liturgia”, o 5º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (Pascom) contará com presença de mais de 800 agentes de todo o Brasil. Entre eles, então bispos, sacerdotes, leigos e membros da Pastoral da Liturgia das dioceses, paróquias e comunidades. 
O evento acontecerá de 14 a 17 de julho, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP). A proposta principal do encontro é aprofundar a compreensão e o serviço da comunicação no campo da Liturgia na Igreja. Durante o encontro, estão previstos seis seminários temáticos e quatro conferências, com presença de estudiosos e especialistas da Comunicação e Liturgia. Haverá, ainda, noite cultural, no sábado, 16 de julho, com workshop “Mão na massa na comunicação católica!”
O arcebispo de Diamantina (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Darci Nicioli, fala das expectativas para o 5º Encontro. “Será um belíssimo evento, mesmo porque são mais de 800 inscritos de todo o Brasil e de todos os regionais, todas dioceses e arquidioceses. E não só os agentes da Pastoral da Comunicação, mas também arcebispos, bispos, padres que estão ligados na aérea da Pascom. Será momento de encontro e trocas de experiência, além de espaço de aprendizado para todos nós”, comenta dom Darci. 
Sobre o tema deste ano, “Comunicação e Liturgia”, o arcebispo explica a necessidade de estudar essa dimensão na ação pastoral da Igreja. “Eu chamo a atenção para o fato que de o tema do nosso encontro é comunicação e liturgia, o foco está na comunicação. A transversalidade da Pastoral da Comunicação deve estar presente em todas as outras pastorais, para que nenhum grupo pastoral se sinta isolado, mas integrado em um corpo evangelizador”. 
Ainda, segundo dom Darci, a liturgia é essencialmente comunicação, pois comunica o mistério, que é também encontro com o outro. “O anúncio da Palavra de Deus é comunicação, outro exemplo muito simples é o uso do microfone e dos instrumentos que temos nas celebrações. Então todos esses são elementos interessantes para o nosso estudo na comunicação à serviço da liturgia”, pontua. 
Confira a programação completa do 5ª Encontro da Pascom: encontronacionalpascom.cnbb.org.br  

CNBB divulga subsídios para o Mês da Bíblia 2016

Temática deste ano traz reflexões inspiradas no livro do profeta Miqueias
Com o tema “Para que n´Ele nossos povos tenham vida” e o lema “Praticar a justiça, amar a misericórdia e caminhar com Deus”, o Mês da Bíblia 2016 traz como proposta de estudo o livro do profeta Miqueias.
Buscando auxiliar às comunidades, paróquias e dioceses, a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB apresenta dois subsídios para esta celebração.
O Texto-Base aborda, de forma explicativa, o tema e lema. Está organizado em seis capítulos. Já o roteiro de “Encontro Bíblicos” oferece cinco celebrações para a vivência em grupo, além de sugestões de cantos litúrgicos.
Vivência da Palavra
Criado na década de 1970, com a finalidade de instruir os fiéis sobre a Palavra de Deus, o Mês da Bíblia é celebrado, no Brasil, em setembro. Para o arcebispo de Curitiba (PR) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB, dom José Antônio Peruzzo, o Mês da Bíblia na Igreja no Brasil tornou-se espaço de vivência e experiência de fé nas paróquias. 
“Graças ao bom Deus, a cada ano vemos crescer nas comunidades de fé o gosto e o sadio anseio por conhecer a Palavra de Deus. Não é apenas curiosidade; não apenas desejo de melhor saber e mais conhecer temas sobre religião. Muito mais, há no coração de nossa gente um secreto desejo de sentido e de esperança. Há uma busca sincera e singela de experiências de fé. Nosso povo quer sentir a proximidade de Deus”, diz.
Dom Peruzzo recorda, ainda, a importância da vivência da Palavra de Deus na vida em comunidade e na família. 
“Nosso país precisa de novas experiências de profetismo. O mesmo vale para a nossa Igreja e para as nossas comunidades. Enquanto houver profetas, aqueles que pronunciam a Palavra ouvida de seu Senhor, Deus ainda não terá sido silenciado em meio aos seus. Valorizar a palavra profética, ouvindo-a com humildade e respondendo com fidelidade, é como desejar que a voz de Deus seja sempre a primeira a ressoar e a última a ecoar”, pontua dom Peruzzo. 
Os subsídios estão disponíveis no site: www.edicoescnbb.com.br 

Select Menu