TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

15/02/2021 Rito de imposição das cinzas que marca o início da Quaresma será diferente por conta da pandemia

A situação de saúde causada pela crise pandêmica do coronavírus continua exigindo uma série de atenções que também se refletem em âmbito litúrgico. Tendo em vista o início da Quaresma deste ano, na próxima quarta-feira 17 de fevereiro, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos da Santa Sé publicou, dia 12 de janeiro, em seu site as disposições a serem seguidas pelos celebrantes no rito de imposição das Cinzas.

“Feita a oração de bênção das cinzas e depois de as ter aspergido com água benta sem dizer nada – precisa a nota -, o sacerdote, voltado para os presentes, diz uma só vez para todos a fórmula que se encontra no Missal Romano: ‘Convertei-vos e acreditai no Evangelho’, ou ‘Lembra-te que és pó da terra e à terra voltarás’.”

Depois, prossegue a nota, “o sacerdote lava as mãos, coloca a máscara protegendo o nariz e aboca, e impõe as cinzas a todos os presentes que se aproximam dele, ou, se for mais conveniente, aproxima-se ele do lugar daqueles que estão de pé. O sacerdote pega nas cinzas e deixa-as cair sobre a cabeça de cada um, sem dizer nada”.

Às estas orientações da Santa Sé, deve-se acrescentar a observação das regras e medidas sanitárias adotadas por cada diocese, arquidiocese e comunidade da Igreja no Brasil a partir de seu contexto específico.

Com foto de celebração no Santuário de Aparecida (SP) do portal A12 e informações VaticanNews