TEMPO COMUM "Grande é a messe, poucos são os operários" Lc 10,2

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

09/11/2017 Encontro Regional da Pastoral Juvenil

Com as palavras do Papa Francisco: “Ide, sem medo, para servir” a Comissão Regional da Pastoral para a Juventude do Regional Oeste II da CNBB, reuniu-se no CENE, em Cuiabá entre os dias 03 e 04 de novembro de 2017. A carta motivadora assim expressava: Neste ano de 2017, estamos celebrando 10 anos do Documento de Aparecida e do Documento 85 – Evangelização da juventude. Destinatários desse encontro serão os coordenadores, vice-coordenadores, assessores das varias expressões juvenis de cada diocese; da Pastoral da Juventude e coordenadores de grupos paroquiais. Trinta e sete jovens se fizeram presente integrando treze expressões juvenis.
Teve como dinâmica: avaliação da caminhada, a partir dos trabalhos de missões e do Rota 300. Percebeu-se o quanto os jovens abraçam a cauda jovem. Jovem evangelizando jovens com novos métodos e com muita fidelidade e comunhão com a Igreja. Dom Juventino, bispo referencial para Juventudes aprofundou as cinco prioridades para os anos de 20916 a 2019; Igreja em estado permanente de Missão, a Iniciação à vida cristã. A Formação Bíblica – Projeto Bíblia na mão do povo; o Fortalecimento das comunidades e o Fortalecimento da Pastoral Social – Projeto Vida para todos. Foi relembrado o Documento 85 – 10 anos de existência. Pe. Wender repassou o resultado do encontro de Revitalização que aconteceu em Brasilia-DF e ao mesmo tempo projetar para o triênio 2018-2020 com destaque para os os cinco eixos que precisam ser trabalhados com a juventude: Missão, formação, estrutura de acompanhamento, ecologia e políticas públicas para a juventude. Também os jovens se debruçaram sobre questões atuais como o sentido da vida, ideologia de gênero, mutilações e suicídio da juventude. Projeto Regional de Pastoral – uma vocação para cada comunidade.
Assembleia foi avaliada como positiva, pela dinamicidade, oportunidade de partilha, estudos em grupos, debates, atualidade dos temas e acima de tudo pelo respeito à pluralidade de expressões e os momentos de espiritualidade.