TEMPO COMUM "Grande é a messe, poucos são os operários" Lc 10,2

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

17/11/2017 Diocese de Rondonópolis/Guiratinga realizou assembleia Com a participação de mais de 110 delegados entre padres, religiosas e cristãos leigos das comunidades, pastorais e movimentos eclesiais

Na noite do dia 10 até ao meio dia de 12 de novembro de 2017 a Diocese de Rondonópolis-Guiratinga realizou a 4ª Assembleia Diocesana de Pastoral. Por que 4ª assembleia? Na realidade a antiga diocese de Rondonópolis realizou 44 assembleias diocesanas, mas a partir do dia 25 de junho de 2014, com o decreto B0465, assinado pelo Papa Francisco determinou remapeamento das dioceses de Rondonópolis, Guiratinga, Barra do Garças e Prelazia de Paranatinga e criação da diocese de Primavera do Leste E assim iniciou uma nova história.
Essa assembleia teve como objetivos: Avaliar a caminhada pastoral do ano; Planejar o Ano do Laicato; Aprofundar linhas do XVI Plano Diocesano de Pastoral e planejar as ações pastorais para o ano de 2018. Com a participação de mais de 110 delegados entre padres, religiosas e cristãos leigos das comunidades, pastorais e movimentos eclesiais oriundos das 21 paróquias que integram a diocese reuniram-se, na Casa de Encontros em São Lourenço de Fátima.
Às 19 horas dom Juventino Kestering, juntamente com os presbitérios presidiram a celebração da eucaristia. Na homilia, à luz da Palavra de Deus enfocou a importância da assembleia para o contexto da diocese, para assumir as propostas da Igreja e para a comunhão diocesana. Como a diocese é pluricultural os indígenas do Povo Bororo participaram com o rito do ofertório com canto em língua Boe.
Após a celebração deram-se início as formalidades da organização. Dom Juventino pronunciou as palavras de abertura insistindo no significado desta assembleia para a caminhada da Igreja e concluiu: “o momento histórico em que vivemos, requer de nós palavra de esperança. ações concretas, buscas comuns. entusiasmo animador e acima de tudo certeza de que estamos no projeto de Jesus”.
A assembleia transcorreu num clima de busca, de diálogo e acima de tudo de irmãos em Jesus Cristo que procuram os melhores caminhos para a Igreja. A dinâmica transcorreu entre apresentação da pesquisa realizada em cada paróquia, aprofundamento do tema sobre o Laicato na Igreja, grupos, encontro por foranias, plenárias, com fila do povo, relatórios, avisos… celebrações da eucaristia, da palavra e de leitura orante, exposição das atividades de cada paróquia nas tendas… Após discussões, debates, e votações a assembleia assumiu:

Dinamizar o ano do laicato:
Abertura do ano do laicato: Celebração da missa com o rito proposto pelo subsídio da CNBB; envolvendo maior número de leigos nesta celebração, nas paróquias, na Solenidade de Cristo Rei, dia 26.11.2017
Momento celebrativo comum diocesano: Na Romaria dos Mártires com responsabilidade do Conselho Diocesano de Leigos e equipe de preparação da romaria em Rondonópolis, no dia 18.03.2018
Publicar um folder sobre identidade e missão do leigo: Resumir o texto 105 e colocar em linguagem popular por dom Juventino para o início de 2018
Fortalecer o conselho de leigos:Dar maior visibilidade ao laicato; despertar nas pastorais e movimentos a importância de se ter um representante no conselho diocesano. Trabalho desenvolvido pelos leigos das paróquias no decorrer do anho de 2018
Encerramento do ano do laicato: Nas Foranias como celebração de ação de graças na festa do Cristo Rei em 25.11.2018

Ano dos Leigos nas Paróquias:
– Estudo do documento 105 nas paróquias, realização de seminários e/ou outra metodologia, envolvendo padres e coordenadores, pastorais, movimentos e serviços, CPP’S E CPC’S; conforme o calendário
– Trabalhar a identidade do leigo nas paróquias: identidade, vocação e missão, conhecendo e reconhecendo os problemas que os leigos enfrentam e elaborar as estratégias de como resolvê-los. Responsáveis coordenadores de pastorais, movimentos, serviços e ministérios, CPPs E CPCs.
– Integrar a juventude nos conselhos paroquiais e diocesano dos leigos dando espaço para que os jovens mostrem/divulguem seus trabalhos nos conselhos paroquiais e diocesano nas paroquias, foranias e diocese no ano de 2018

PROJETO DIOCESANO – A SER ASSUMIDO POR TODOS
– Dar continuidade às missões populares nas várias modalidades assumidas pelas paróquias, equipes de coordenação paroquiais das missões pastorais e movimentos integrados nas paróquias conforme o calendário de cada paróquia.
– Celebração de envio e retiro para missionários com a entrega do guia missionário e do compromisso das missões cada um organiza, pároco e equipe de coordenação das missões, nas paróquias, domingo da misericórdia no dia 08/04/2018
– Criação e fortalecimento dos grupos de famílias para visitas nos setores com novas lideranças nos setores, os que moram no setor ou próximos; com oração, terços, círculos bíblicos nas residências, partilhas, confraternizações e realização de ações sociais leigos em suas comunidades, nas famílias e semanalmente.
– Nova publicação do guia missionário e do compromisso das missões cada paróquia no inicio do ano.

FORTALECIMENTO DA PASTORAL SOCIAL
Formação para leigos que atuam na pastoral ou que desejam conhecer informando a função da igreja e a responsabilidade do estado nas questões sociais Na diocese e paróquias de acordo com o calendário
Formar multiplicadores para estudos bíblicos, formação em nível de foranias para leigos; iniciar círculos bíblicos para crianças, adolescentes e jovens nas comunidades com incentivo vigário forâneo e coordenação paroquial.

FORANIA E PARÓQUIAS para o ano de 2018
– Formação sobre CPP’S E CPC’S com mais espaços para as mulheres e jovens
– Utilizar as informações das diretrizes diocesanas para a formação; divisão de tarefas para membros e motivar mais a participação.
– Compor os conselhos inclusive no concelho econômico com a participação de mulheres. Pároco e membros do CPP’S, nas paróquias e comunidades, no ano de 2018
– Formação para missionários, entre as paróquias com trocas de experiências, equipe de coordenação das missões nas paróquias, uma vez por ano
– Incentivar grupos para acolhidas nas comunidades, acolhida das pessoas nas comunidades e nas celebrações, Grupos de jovens, catequistas, MFC… pastorais e movimentos, nas comunidades e de maneira permanente

Sugestões para as paróquias:
– Realizar as missões populares, decidir em conselho a metodologia a ser utilizada nas missões; equipes para acompanhar o pós-missão; mapeamento sacramental, nas paróquia e comunidades antes e após a missão
– Iniciação a vida cristã: Divulgar nos grupos, pastorais e movimentos as pessoas que necessitam da IVC e encaminhar aos responsáveis. paróquia e pastorais e comunidades, pastorais e movimentos; coordenadores de retiros e acampamentos e de forma permanente.
– Formação bíblica: Dar formação de introdução bíblica nas paróquias, comunidades, pastorais, movimentos e grupos; coordenadores de retiros e acampamentos de forma permanente.
– Investimento financeiro como prioridade para formar lideranças. Investir em cursos, materiais, passagens na paróquia, na assembleia paroquial de forma permanente.
– Respeitar os prazos de atuação das lideranças, realizar as eleições no segundo semestre em que finda o mandato nos movimentos, pastorais e serviços e nos grupos específicos ao fim do mandato,
– Renovação das coordenações, formação para novas lideranças, convidar assessoria.
– Reservar um dia na paróquia, da comunidade, para a igreja doméstica – conforme a realidade de cada paróquia, com atividades realizadas nas famílias ou por vizinhas ou por rua, prédio com, círculos bíblicos e grupos de oração nas comunidades e famílias semanalmente,
– Participação de leigos nos conselhos dos municípios motivando a participação nos conselhos, leigo com conhecimento técnico no conselho municipal de forma permanente,
-Incentivar as celebrações dos ritos e sacramentos nas comunidades, celebrações da palavra com mais dinamismo nas comunidades, catequese, liturgia… pastorais e movimentos nas comunidades no decorrer do ano de 2018,
-Pastoral de conjunto: Integração das pastorais e movimentos, convocação feita pelo pároco a todos as coordenações de pastorais e movimentos pároco e equipe de coordenação paroquial das missões,
– Visitas nas escolas nos três períodos para articular núcleos de catequese para operacionalizar as visitas; despertar vocações. Envolver a coordenação da catequese e SAV, as paróquias e de forma permanente,
– Como subsídio para toda a diocese a maioria absoluta optou por um subsídio – Bíblia.

Pastoral da Comunicação – Pascom
Diocese de Rondonópolis- Guiratinga