TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

24/06/2020 Diocese de Alto Solimões, na Amazônia, recebe 3 religiosas em experiência missionária


Na segunda, 22 de junho, aconteceu a celebração de envio das irmãs que farão uma experiência de missão na diocese de Alto Solimões, em Tocantins, na paróquia São Pedro. A celebração foi realizada na sede da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), em Brasília, e foi presidida pelo diretor nacional das Pontifícias Obras Missinárias (POM), padre Maurício Jardim. Este projeto missionário integra a campanha “A Amazônia precisa de você”, apoiado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). As três religiosas farão uma experiência intercongregacional. As missionárias irmã Alessandra Santana, irmã Delva Piedade de Oliveira e irmã Zirlaide Barreto Mendonça embarcaram para a diocese na manhã de hoje.

Irmã Alessandra Santana (do lado direito do padre Maurício na foto), da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, é fisioterapeuta e destaca que esse projeto em prol da Amazônia, mais do que uma ida profissional, é também sinal de profecia. Para ela, viver essa experiência de missionariedade num contexto que clama será uma junção do saber técnico e também da presença missionária de uma Igreja que se faz pobre com os pobres e que se coloca ao lado dos que sofrem para cuidar, para amparar, para ser promotora e cuidadora da vida.

“Sinto como uma grande responsabilidade por tantas instituições que estão envolvidas e que nos fazem perceber que não estamos indo por nós mesmas, mas em nome de todas essas instituições e de tantas pessoas que gostariam de estar a frente também ajudando e não podem por diversos motivos. Agradeço muito a congregação por ter disponibilizado, por estar aberta a essa proposta. Também deixo o apelo para que outros religiosos e religiosas se coloquem a serviço na missão”, destacou a religiosa.

Para irmã Delva Piedade de Oliveira (à esquerda na foto), da Congregação das Religiosas do Sagrado Coração de Maria, que é enfermeira, ir à Amazônia é prestar um serviço humanitário. “Como religiosa, essa missão é a Igreja em saída que vai ao encontro daqueles que tem necessidades. Hoje, todos nós batizados, somos chamados a estar nessa missão a serviço da vida. A proclamação que Jesus veio para que todos tenham vida e a tenham em plenitude. Não só a vida do corpo, mas também a vida de fé, da esperança. Renovar a esperança desses povos indígenas e ribeirinhos, aqueles que agora estão mais necessitados de vida”, lembrou a irmã.

A irmã Zirlaide Barreto Mendonça (à direta na foto), passionista, é psicóloga e fala sobre a certeza de que esta campanha é o gesto fraterno de uma grande rede de solidariedade. “Tenho a graça de participar desse projeto missionário que tem como objetivo enfrentar o sofrimento na solidariedade. Somos três Consagradas, três Congregações, três Carismas, como gotas no oceano, mas enviadas e acompanhadas por tanta gente, de longe e de perto, que vai tecendo a rede”, disse.

Para a religiosa, o sofrimento, na visão da fé, à luz da paixão de Cristo, é o ponto alto da solidariedade. “Então não vamos sozinhas ao encontro do povo amazonense. E vamos com alegria, com tantas incertezas e uma única certeza, de que temos a oportunidade de uma profunda e libertadora experiência de Deus nessa realidade, que já nos parece bem próxima”, destacou.

Com informações das Pontifícias Obras Missionárias