TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

04/09/2020 CPT Mato Grosso e FDHT lançaram o Caderno de Conflitos no Campo Brasil 2019 e 5º Relatório Estadual de Direitos Humanos e da Terra


Nesta sexta-feira (04), às 10h de Brasília, 9h local, a Comissão Pastoral da Terra Regional Mato Grosso (CPT-MT) e o Fórum de Direitos Humanos e da Terra (FDHT/MT) lançaram o relatório anual de Conflitos no Campo Brasil 2019 e a 5ª Edição do Relatório Estadual de Direitos Humanos e da Terra de Mato Grosso.

Esta é a 35ª edição do Caderno que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, pelos indígenas, quilombolas, povos tradicionais e lideranças.
Nesta edição a CPT registrou 1.833 conflitos no campo em 2019. Número 23% maior que em 2018 e o maior número registrado pela CPT nos últimos 14 anos.

O Mato Grosso registrou o assustador aumento de 3.359 famílias despejadas em 2019 tornando-se o Estado com maior número em 2019. Além disso, com o aumento da violência no campo, as ameaças de morte aumentaram 250% comparado com o ano de 2018.
O Relatório Estadual de Direitos Humanos e da Terra de Mato Grosso está na sua 5ª Edição e expressa um panorama geral das dimensões relacionadas aos Direitos Humanos e Meio Ambiente em Mato Grosso. Esta edição traz consigo diversas realidades vivenciadas nas comunidades e na luta pelos direitos, expressando situações e ambientes, denunciando violações de direitos e sobretudo anunciando um mundo mais digno de bem viver.

Infelizmente, constata-se que a violência, o desrespeito e a agressão à Vida e aos Direitos dos mais vulneráveis, são uma realidade que teima em manter-se sob olhar de todos e todas.
A coletiva de imprensa foi realizada na sede da CNBB Oeste 2 e contou com a presença do coordenador do Fórum Estadual de Direitos Humanos e da Terra/FDHT – Inácio Werner, da coordenadora do Centro Pastoral para Migrantes/COM – Eliana Vitalino , da coordenadora da Comissão Pastoral da Terra de Mato Grosso – Aline Mialho, da liderança indígena do povo Chiquitano – Soilo Urupe Chue e do Professor Dr. Armando Wilson Tafner Junior Doutor em desenvolvimento sustentável pela Universidade Federal do Pará e membro do Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos da UFMT. Também algumas pessoas ligadas aos dois Organismos em questão, além da mediadora Marilza Schuina e do Secretário Executivo da CNBB Regional Pe Reinaldo Braga Junior.