TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

27/11/2019 Comitê Gestor apresenta balanço final do projeto Caminhos de Solidariedade

O Comitê Gestor do Projeto Caminhos de Solidariedade: Brasil e Venezuela prestou contas à presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na segunda-feira, 25 de novembro, após a conclusão e encerramento do projeto. A prestação de contas do projeto também foi apresentada em reunião do Conselho Permanente da CNBB nesta quarta-feira, 27 de novembro.

Com o apoio do Fundo Nacional de Solidariedade – gesto concreto da Campanha da Fraternidade da CNBB – a iniciativa atendeu a 4.800 pessoas em ações emergenciais, de acolhida e interiorização dos imigrantes e refugiados venezuelanos que vieram no Brasil em busca de melhores condições de vida (veja os dados no gráfico abaixo).

O bispo de Roraima (RR), dom Mário Antônio da Silva, segundo vice-presidente da CNBB, agradeceu ao episcopado brasileiro e à presidência da entidade pela solidariedade e renovou o apelo para se pensar novos caminhos para o trabalho com os migrantes.

A tendência, segundo ele, é de que em função da crise humanitária na Venezuela, aumente nos próximos anos o número de migrantes venezuelanos que procuram outros países como saída para a crise. Em 2020, informou, estima-se que serão 6 milhões de migrantes à procura de inserção em outros países da América Latina.

Durante o seu percurso, o programa se pautou em três eixos de atuação. O primeiro eixo denominado “Missão Brasil-Venezuela” procurou considerar a experiência de imersão autêntica e profunda, que possibilitou o intercâmbio solidário e parcerias para novas atividades e ações entre igrejas.

O segundo eixo, de integração, buscou proporcionar acolhida e ações de integração para atendimento digno aos homens, mulheres, crianças, jovens, idosos e grupos étnicos vindos da Venezuela. Nesta ocasião, várias dioceses acolheram famílias migrantes. Só neste eixo, o projeto investiu em 654 passagens áreas tendo em vista a interiorização.

No eixo “Meios de Vida” a proposta se estendeu a responder da melhor forma possível os desafios referentes à geração de renda e trabalho para os migrantes que desejavam continuar em Roraima, ou seja, mais próximo possível da terra natal.

O Comitê Gestor do Projeto apresentará uma prestação de contas na 58ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, marcada para abril de 2020. Conheça mais sobre as ações e iniciativas do projeto no site do projeto: http://www.caminhosdesolidariedade.org.br