TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

12/12/2015 Aldeia Bororo celebra Sacramentos – Diocese de Rondonópolis-Guiratinga

DSC_0273-e1450748967385Na manhã do dia 19 de dezembro aconteceu na Aldeia Córrego Grande, Diocese de Rondonópolis-Guiratinga, a Celebração dos Sacramentos do Batismo e da Eucaristia com a comunidade indígena Boe Bororo.  A comunidade esteve reunida para celebrar com os 14 jovens e um adulto a primeira vez que receberam o Corpo de Cristo e também, para a realização do batizado de duas lindas crianças. Os ritos foram realizados no Baito, local sagrado para os Bororo, que esteva repleto de famílias, crianças, jovens e anciãos. Como de costume os jovens, assim como, pais e padrinhos foram preparados durante o ano todo pela missionária Silvia Pinheiro, que trabalha com respeito a Cultura e o processo de enculturação.
No rito de entrada os jovens adornaram o altar com toalhas e com os símbolos dos Sacramentos. Foi muito emocionante este momento, pois, os jovens estavam visivelmente alegres e atenciosos às palavras do Bispo.
Dom Juventino concelebrou com Frei Lima (FMM), da Paróquia de N.S. do Carmo de Itiquira.  O livro Sagrado foi introduzido no Baito por três adolescentes que estavam tradicionalmente adornadas, com pintura corporal e enfeites de seus clãs. Além disso, a Bíblia estava amparada por uma peça de artesanato Bororo chamada bako, que é confeccionada em tramas de palha e utilizada nos rituais e no dia a dia do Bororo.  A leitura e salmo foram proclamados e Dom Juventino fez então o rito de entrega da Palavra para cada Jovem. Em seguida, convidou um dos chefes de ritual para com ele realizar o rito de entrega da luz.
A missa seguiu com a proclamação do Evangelho, a renovação das promessas do batismo e a profissão de fé. No ofertório, enquanto a comunidade cantava, três Bororo ofereceram os frutos da terra, um presépio e uma patena confeccionada delicadamente em palha, era uma miniatura do bako, que acolheu as hóstias consagradas que foram distribuídas para dos participantes no rito de comunhão.
Após a comunhão eucarística Dom Juventino iniciou os ritos do batismo com as crianças, pais e padrinho. As crianças foram apresentadas a comunidade conforme a tradição Bororo, os pais ergueram e pronunciaram o nome de cada uma, em seguida deu-se início aos ritos litúrgicos do batismo com unção e promessas do batismo. Em caminhada todos se dirigiram para a fonte sagrada do Córrego Grande onde Frei Lima deu continuidade aos batizados. Após, Dom Juventino deu a benção final.
A comunidade indígena estava muito feliz e expressava sorrisos e contentamento, pois entenderam que através dos ritos se sentiram amados por Deus e animados para educar as crianças no caminho da tradição Bororo segundo os valores do Evangelho de Jesus Cristo. No pátio da aldeia aconteceu uma partilha de frutas, doces e biscoitos para todos da comunidade.
A Diocese de Rondonópolis tem um trabalho específico juntos aos povos indígenas com uma missionária residente na aldeia e voluntários e também as irmãs Catequistas Franciscanas mantêm um permanente trabalho missionário nas aldeias.
Pastoral da Comunicação (Pascom)
Diocese de Rondonópolis-Guiratinga