TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

25/01/2018 Regional Oeste 2 na Abertura do 14º Intereclesial: a força da igreja! CEBs é o maior espaço onde o rosto do leigo se reflete na igreja

A Praça do Ipê em Londrina foi, na tarde do dia 23 de Janeiro de 2017, se tornou palco de um dos mais representativos e fortes encontros da igreja católica no Brasil: o Intereclesial da CEBs! Desde as 17h, os irmãos e irmãs de todas as regiões do Brasil começaram a se juntar para celebrar a abertura do encontro. Em clima de festa, alegria, oração e proximidade e ao ritmo dos tambores, pandeiros e mochos, as cores das regiões foram se misturando, se aproximando e criando uma atmosfera própria da civilização do amor.
Com um pôr-do-sol vivo e forte, as mais de 3000 mil pessoas reunidas na praça, iniciaram a celebração de abertura que fez um grande resgate que, sob a referência do rosto diversificado de Londrina, acolheu os indígenas, quilombolas, as várias regiões do Brasil, os imigrantes das mais diversas partes do mundo, as irmãs refugiadas e os irmãos refugiados, as múltiplas entidades, e nossas irmãs e irmãos de outras denominações religiosas. Além disso, recordamos os temas de todos os Intereclesiais que precederam este momento, seus temas e locais onde foram realizados.
Dom Geremias Steinmetz, arcebispo de Londrina, acolheu a todos e salientou que as CEBs é o maior espaço onde o rosto do leigo se reflete na igreja. Trouxe o termo “sujeito eclesial”, convocando todos os presentes a se pensar enquanto igreja e a necessidade que sejamos cristãos maduros na vivência de nossa fé. Acrescentou ainda que o maior desafio hoje é descobrir como “abordar o homem e mulher da cidade, qual a metodologia para se fazer isso” e completou “São dias para se ouvir o silêncio ensurdecedor dos habitantes das cidades”.
A abertura causou as mais distintas manifestações nas irmãs e irmãos que vivenciaram o momento. Ana Tibaldi destacou a acolhida, a mística e a palavra do bispo. Já a missionária Rafaelli, que vem pela primeira vez a um intereclesial e destacou “eu estava muito ansiosa para chegar aqui e tem sido muito bom desde a acolhida”, destacou a alegria das famílias em receber os delegados, a cultura local apresentada e representada e a memória dos outros intereclesiais. Vinicius salientou que foi um momento emocionante e muito importante e agradeceu a oportunidade de vivenciar esse momento e concluiu “Estamos ai, prontos mais uns dias de estudo e trabalho na caminhada das CEBs”. Por fim, Rose Siqueira, destacou “Foram momentos muito fortes de espiritualidade, para mim foi muito significativo”.
E assim, o povo voltou animado para casa, e na fala de Rose, ainda encontramos a razão de toda essa animação e força em participar e vivenciar esse Intereclesial: “Espero um aprofundamento nessa temática do mundo urbano, onde a gente vivencia todos os dias de nossas vidas e os temas que a gente vai estudar. A gente só tem mesmo a aprender a cada dia para poder levar para nossas comunidades de base, onde a gente vive, tudo que nós vamos aprender com todas as comunidades do Brasil, os novos relacionamentos, as amizades que a gente faz, as culturas… Tudo isso nos ajuda depois na nossa vivência”.
E todos animados, centenas e centenas de pessoas, foram para os pontos de ônibus motivadas para seguir essa experiência ímpar que são os Intereclesiais.