TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

07/12/2016 II Encontro de Mulheres Camponesas do Vale do Araguaia e Norte do Mato Grosso O encontro teve a assessoria da Pastora Nancy Cardoso

encontro-mulheresA CPT – Comissão Pastoral da Terra realizou, em Porto Alegre do Norte, nos dias 25, 26 e 27 de novembro, juntamente com a Associação Terra Viva – ATV e o Fundo Nacional de Solidariedade – FNS, o II Intercâmbio Regional de Mulheres das regiões Norte e Norte Araguaia com o tema “Mulher: semente de vida e resistência”.
O encontro teve a assessoria da Pastora Nancy Cardoso, do Rio de Janeiro, que levou as mulheres a refletir sobre a construção da autonomia e da participação da mulher na sociedade, sobre a importância política e econômica delas para o país e sobre os reflexos da crise atual na sociedade.
Após a participação efetiva nas discussões, na sexta à noite, ainda como parte da programação, as mulheres camponesas fizeram um passeio pela Feira de Agricultura Familiar de Porto Alegre do Norte, para interação e troca de experiências.
No sábado o encontro pautou o empoderamento da mulher como possibilidade de geração de renda. À noite, as participantes expuseram seus trabalhos na feira camponesa montada pela organização do evento, mostrando que é possível a geração de renda a partir do extrativismo, da culinária e artesanatos feitos por elas. Momento de muita descontração e alegria, ao som de sanfona, violão e teclado, o que animou ainda mais o evento.
Durante o encontro foi escrita uma carta coletiva para o presidente Michel Temer na qual as mulheres se posicionaram frente aos desafios da crise atual gerada pela falta de compromisso e responsabilidade de deputados e senadores que não aceitam nem respeitam a democracia tão duramente construída nesse país e cobraram a retirada e a revogação das propostas de emendas constitucionais, em trâmite na câmara e no senado, que subtrai direitos do povo brasileiro e limita gastos com educação e saúde.
Na avaliação do evento, realizada na manha de domingo, as trabalhadoras camponesas disseram sair do encontro com a autoestima elevada e mais fortalecida para continuar sendo semente de vida e resistência na construção de uma sociedade onde homens e mulheres tenham os mesmos direitos e sejam igualmente respeitado.

Fonte: Divanez