TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

28/01/2020 Em Manaus, liturgistas estudam Documento 108 da CNBB “Ministério e Celebração da Palavra”


O Documento 108 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) “Ministério e Celebração da Palavra” é objeto de estudos e reflexão durante a 5º Jornada Litúrgica, promovida pela Associação dos Liturgistas do Brasil (Asli), desde ontem, 27, até o dia 31, em Manaus (AM). O evento tem assessoria do arcebispo emérito de Mariana (MG) e membro fundador da Asli, dom Geraldo Lyrio Rocha, e será concluído com a 31ª Assembleia da organização.

Participam do encontro cerca de 40 pessoas, entre liturgistas, professores de liturgia e agentes da Pastoral Litúrgica, oriundos de diversas regiões do Brasil e em torno do tema principal, o mesmo título do Documento 108 da CNBB, refletem sobre a realidade pastoral da região Amazônica, onde a maioria das comunidades são alimentadas pelas celebrações da Palavra de Deus. Dom Geraldo, um dos bispos que contribuíram na elaboração do documento, ajuda os participantes a compreenderem as motivações do documento e o seu conteúdo.

A programação conta ainda a reflexão do subtema “Sínodo da Amazônia: Novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”, tendo como facilitador o irmão marista João Gutemberg Coelho Sampaio, que atua na comunidade marista de Manaus e em diversos espaços da Igreja na Amazônia. Irmão João, que também contribui na articulação do eixo Formação e Métodos Pastorais na Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), colabora no evento com momento de orações e com análise sobre as ementas do ensino de liturgia e comunicações científicas.

O secretário executivo da Asli, padre Thiago Faccini Paro, que é perito no Setor Espaço Litúrgico da Comissão para a Liturgia da CNBB, explicou que o encontro acontece anualmente no último final de semana de janeiro, cada ano em um estado diferente. No evento, continua, “os participantes, sobretudo professores de liturgia, tem oportunidade de conviverem e de refletirem sobre temas atuais e pertinentes às ciências litúrgicas, e de partilhar suas pesquisas e experiências”.

A associação

A Asli foi criada a partir dos encontros promovidos pela antiga Linha 4 da CNBB, atual Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia, que realizava desde o ano de 1980, encontros anuais com docentes em liturgia e liturgistas para partilha, estudo e reflexões. Neste ambiente, no dia 17 de fevereiro de 1989, sob a presidência de dom Geraldo Lyrio, foi eleita a primeira diretoria da Asli.