TEMPO COMUM Respondeu-lhes Jesus: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus". (MT 22,29)

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

03/03/2020 Assessora fala sobre como juventude, motivada pela CF, pode fortalecer a revolução do cuidado

A Campanha da Fraternidade (CF) é um modo privilegiado pelo qual a Igreja no Brasil vivencia a Quaresma. Neste ano, a CF nos convida a olhar, de modo mais atento e detalhado, para a vida. Com o tema “Fraternidade e Vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, a iniciativa nos convoca a refletir sobre o significado da vida e a encontrar caminhos para que este sentido seja fortalecido e, algumas vezes, até mesmo reencontrado.

Sua essência consiste em ver, solidarizar-se e cuidar. Neste sentido, a assessora nacional da Comissão para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), irmã Valéria Andrade Leal, em entrevista ao portal da entidade falou sobre como a juventude do Brasil, motivada pela Campanha da Fraternidade 2020, poderá fortalecer a revolução do cuidado, do zelo, da preocupação mútua e, portanto, da fraternidade.

De acordo com ela, a CF traz para o centro da discussão o valor da vida, motivando os próprios jovens a valorizarem suas próprias vidas, dons e talentos. “A Campanha fala de dom e compromisso, então primeiro os jovens devem reconhecer que a vida é um presente, que eles têm talentos e muita coisa boa neles mesmos”, disse.

Ainda de acordo com ela, é necessário que o jovem transforme todo o seu talento em compromisso. “É fazer desses dons, dessa vida que é dada gratuitamente por Deus uma doação também em favor do outro. É sair de si, dar uma ajuda, um cuidar que é também uma palavra forte que o texto-base da Campanha vem trazendo”, explica irmã Valéria.

O texto bíblico que ilumina e que é apontado como lema da CF 2020 leva-nos a olhar a figura do Bom Samaritano, aquele que motiva o amor presente dentro de nós a sair e, como cristãos, fazer a diferença no mundo. Para ser um bom samaritano, irmã Valéria afirma que o jovem tem que ser sensível com quem está ao seu lado. “As vezes o jovem se perde nos seus próprios problemas. Fica olhando o próprio umbigo e não enxerga o que ou quem está ao lado”, disse.

Neste sentido, irmã Valéria afirma ser importante que o jovem alargue um pouco o olhar para ver o que está acontecendo ao seu redor e quais são as pessoas que precisam de ajuda. “É se questionar em como posso contribuir, é se preocupar com o sentimento de quem está do meu lado ao invés de ficar só remoendo os seus sentimentos”, garante.

A irmã também deu dicas para os jovens de todo o Brasil: “Você pode fazer um trabalho voluntário, fazer parte de uma outra Pastoral além do grupo de jovens, doar uma tarde na festa da Paróquia, enfim há muitas coisas concretas que podem ser feitas, até mesmo dar um sorriso ao próximo pode fazer toda a diferença. É olhar e tentar perceber o que o outro precisa”, finaliza.

Tags: