TEMPO DO ADVENTO "Preparai o caminho do senhor" Is 40, 3

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

02/12/2018 Artigo: TEMPO DE ADVENTO por Dom Juventino Kestering Bispo de Rondonópolis/Guiratinga


Estamos no primeiro domingo do advento. A cor dos paramentos litúrgicos e do espaço celebrativo é roxa, sinal de alerta e de expectativa. Advento que quer dizer: vinda, expectativa, espera, mudança, conversão, pois o Natal de Jesus se aproxima.

Para a Igreja Católica, “o advento se refere às quatro semanas que antecedem o Natal, um período litúrgico que celebra a vinda de Jesus Cristo, considerando sempre em primeiro lugar seu nascimento em Belém da Judéia e, evocando seu retorno no Dia do Juízo Final”.

Apesar da crise econômica que assola o país, as cidades, lojas, ruas e casas se ornamentam com luz e símbolos natalinos. É de certa maneira um espetáculo lindo, que enche os olhos, que encanta o mundo das crianças, mas como afirma o papa Francisco: “O mundo continua fazendo guerra. O essencial é a preparação do coração, a mudança para a paz, a ética, a solidariedade, a promoção humana e a dignidade da pessoa”.

A Palavra de Deus (Lc 21,25-36) fala em “alerta”, em “cuidado”, não como uma forma de medo, mas como atenção contínua para que os cristãos, seguidores de Jesus Cristo estejam atentos para perceber os sinais de Deus e agir de maneira digna do nome de cristão. “Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e com as preocupações da vida e esse dia não caia de repente sobre vós”. Nesta frase Jesus resume um programa de vida. O jeito de viver do cristão requer atitudes novas.

Pelo batismo fomos lavados para viver de maneira nova, isto é com vida honesta, correta, sensata, voltada para Deus e para os irmãos. A embriaguez, a gula, a injustiça, a corrupção e preocupações pelas coisas não devem dominar a vida. O segredo da vida saudável, de equilíbrio de vida e de auto estima provem de atitudes que moldam a vida pelos de caminhos dos valores. Ser cristão não condiz com a imoralidade, embriaguez, injustiça, exploração gula, ganância. Isto não faz parte do evangelho.

Jesus continua: “Ficai atentos, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem”. Estar atento e vigilante faz parte da identidade do cristão. O pai, a mãe precisam estar atentos para perceber o crescimento dos filhos, suas atitudes e seu desenvolvimento, espiritual humano e afetivo. O professor necessita de atenção com o aluno. Catequistas, os coordenadores das pastorais e movimentos, os padres e bispo necessitam olhar com bondade, amor e compaixão. Estar atento é atitude que permeia a vida dos cristãos. Atenção é diferente de angustia. Estar atento é cuidado que cada pessoa tem de maneira inata no seu coração em relação a si e aos outros. Cada um de nós é um cuidador do outro que faz a vida ser linda e harmoniosa na família, na profissão, nas palavras, no jeito de ser e viver. E você é uma pessoa atenta e cuidadosa?

Jesus alerta atenção para o fim de nossa vida: a eternidade, a morte, o juízo, o céu e inferno como realidades que fazem parte do credo de nossa fé. Professamos no credo “creio que há de vir e julgar os vivos e mortos… creio na ressurreição dos mortos, na vida eterna”.

São Paulo aos Tessalonicenses (3,12-4,2) exorta: “Que assim Ele confirme os vossos corações numa santidade sem defeito diante dos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos. Aprendestes de nós como deveis viver para agradar a Deus e já estais vivendo assim. Fazei progressos ainda maiores”. A vigilância e cuidado leva para o caminho de Jesus Cisto. O tempo de advento é propicio para fazer esse progresso na fé através da confissão, de um gesto de caridade com uma família carente, visita aos presídios, ajuda às aldeias indígenas, participação nas novenas de natal em família, símbolos religiosos dentro da casa, um pequeno presépio e acima de tudo participar das celebrações na comunidade.

A coroa do Advento é o primeiro anúncio do Natal. É um círculo de folhagens verdes. Em forma circular porque simboliza a eternidade e sua cor representa a esperança e a vida. No centro do círculo, colocam-se quatro velas para se acender uma a cada domingo do Advento. A luz das velas simboliza a nossa fé e nos leva à oração e simbolizam as quatro manifestações de Cristo: 1ª A Encarnação, Jesus Histórico; 2ª Jesus nos pobres e necessitados; 3ª Jesus nos Sacramentos; 4ª Segunda vinda de Jesus. Cada família pode fazer uma coroa do Advento em sua casa e celebrar em família a chegada de Jesus Cristo nosso Salvador. A cada domingo, pode acender as velas, convidando familiares e vizinhos para rezar.

Rezar com a Igreja: Ó Deus todo-poderoso, concedei a vossos fiéis o ardente desejo de possuir o reino celeste, para que, acorrendo com as nossas boas obras ao encontro do Cristo que vem, sejamos reunidos à sua direita na comunidade dos justos. Por nosso Senhor Jesus Cristo.

Que o Sagrado Coração de Jesus, patrono da Diocese, derrame abundantes graças e bênçãos sobre cada um de nós. Saúde aos doentes, alegria aos tristes, esperança aos desanimados.

Dom Juventino Kestering
Bispo diocesano