TEMPO DA QUARESMA EIS O TEMPO DE CONVERSÃO

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

09/03/2017 XXII Assembleia Regional da Pastoral Familiar Com o tema: “A Família Celebra os 300 anos de Aparecida” e o lema: “Feliz é aquela que acreditou” .

Aconteceu nos dias 04e 05 de Março, a XXII Assembleia Regional da Pastoral Familiar –Regional Oeste 2, nas dependências do CENE (Centro Nova Evangelização) em Cuiabá, com o Tema: “A Família Celebra os 300 anos de Aparecida” e o Lema: “Feliz é aquela que acreditou” – (Lc 1,45).
No sábado, primeiro dia da assembleia teve início com a Celebração da Santa Missa Celebrada por Dom Canísio e concelebrada pelos Padres Gilberto da Diocese de Diamantino e Pe. Jorge Filho, Assessor Nacional da Pastoral Familiar. O casal coordenador regional da pastoral familiar, Edina e Josuel acolheu a todos os presentes. Em seguida Dom Canísio, Bispo referencial da Pastoral Familiar no Regional Oeste 2, apresentou a coordenação regional da Pastoral Familiar e declarou aberta a XXII Assembléia Regional da Pastoral Familiar.
Nosso primeiro dia foi marcado por palestras como: “Devoção Mariana no Magistério da Igreja” ministrada por Dom Canísio, que esclareceu sobre a verdades da devoção a Maria e aos santos de nossa igreja. Padre Deusdédit, falou do Capítulo V da exortação do Papa Francisco, Amoris Laetitia: “O amor que se torna fecundo”. Dra. Lindacir, que falou sobre a Adoção, tema abordado na Exortação Amoris Laetitia, – Fecundidade Alargada: Adoção, um generoso ato de amor, nº 178 – 181. O casal Jair e Neuliane da Diocese de Cáceres, com um “Olhar do “leigo” sobre o documento – Amoris Laetitia, de forma resumida, mas esclarecedora apresentou a exortação apostólica de Papa Francisco. Em seguida Pe. Jorge Filho, assessor nacional da Pastoral Familiar, se ateve ao Capítulo VIII da Exortação – “Acompanhar, discernir e integra a fragilidade. Pe. Jorge nos diz que precisamos descobrir a pastoralidade da exortação e que a mesma se exige uma mudança de mentalidade e nos questionou se estamos dispostos a acompanhar, discernir e integrar a fragilidade? Em seguida teve momentos de grupos e partilhas. Finalizando o primeiro dia com um momento de oração mariana, conduzida pela irmã Sarvelina, da diocese de Diamantino.
No domingo, último dia da Assembleia, teve início com a celebração da santa missa, presidida pelo Pe. Jorge e concelebrada por Dom Canísio e Pe. Gilberto. Roque e Verônica, Casal Coordenador Nacional da Pastoral Familiar, com o Tema: “A Pastoral Familiar na Pastoral Orgânica: parcerias, integração e complementariedade”. A pastoral orgânica só existe, quando há uma união dos mesmos esforços na evangelização, e que unidade, comunhão e participação se faz uma pastoral orgânica forte, comentou Roque, e complementou: que devemos integrar forças, evitando desperdício e falta de relacionamento e que cada cristão, agente de pastoral, coordenador de movimento, pastorais e serviços adquira consciência da necessidade de servir em comunhão, eliminando assim o individualismo na caminhada pastoral. Pe. Evandro, do Tribunal Eclesiástico, falou um pouco sobre os trabalhos do tribunal, apresentou um documento do Papa Francisco que trata dos processos de Declaração de Nulidade Matrimonial e se colocou a disposição das dioceses. João e Acidalia, coordenadores do XV Congresso Nacional da Pastoral Familiar, posicionou a todos como anda os preparativos para o congresso, e pediu a união e sintonia em oração para o Congresso. O Casal INAPAF do Regional, Sidinei e Neusa apresentou o INAPAF, e aproveitou o momento para entregar alguns certificados para alguns presentes. Pe. Jorge nos posicionou quanto aos subsídios Hora da Família e Hora da vida, e da reestruturação administrativa do SECREN – Secretaria Nacional da Pastoral Familiar. Dom Canísio, agradeceu a contribuição de cada um dos presentes, lembrando todos aqueles que cada um dos presentes representa, motivando a todos com a oração à Sagrada Família para XV congresso nacional da Pastoral Familiar e declarou encerrada a XXII assembleia regional da Pastoral Familiar.