TEMPO DA QUARESMA EIS O TEMPO DE CONVERSÃO

INFORMATIVO

Cadastre e receba nosso informativo

PASTORAL FAMILIAR

Pastoral Familiar

 

O que é

É a ação que se realiza na Igreja e com a Igreja, de forma organizada e planejada, por meio de agentes específicos, com metodologia própria, tendo como objetivo a evangelização das famílias na convivência interna e com a sociedade. Também se destina à formação da pessoa humana independente de sua situação familiar, com o propósito de promover a sua inclusão e resgatar seus valores e sua dignidade.

 Objetivo Geral

Evangelizar a família para que, educada no amor, possa ser geradora da vida e da fé, formadora da personalidade, promotora do desenvolvimento e da vivência comunitária.

Ações Práticas

  • Promover o “Encontro de Preparação para o Matrimônio”;
  • Atuar numa ação preventiva de orientação conscientização e educação para o amor, a fim de garantir aos cristãos batizados, mais consciência e compreensão da família e o sacramento do matrimônio;
  • Promover a evangelização continuada dos relacionamentos, buscando a consolidação do matrimônio e orientando os casados para uma vida de santidade;
  • Acolher e evangelizar as famílias em situações de riscos, especiais, conflitivas e irregulares, buscando a inclusão delas na comunidade cristã.

Trabalhos desenvolvidos no Regional

A Pastoral Familiar iniciou suas atividades em Mato Grosso por volta de 1992, o Bispo Referencial, era Dom José Foralosso, da Diocese de Guiratinga. O casal coordenador regional era Jorge Tadeu e Tereza, da Diocese de Cuiabá. As atividades ficaram embrionárias até 1996 quando o mesmo casal, Jorge e Tereza, reassumem a coordenação e convidam Tânia M. G. Paroli, de Cuiabá, para a secretaria da Pastoral. Essa nova fase da coordenação dá os primeiros passos para a implantação da P.F. em todas as dioceses do Regional O2, sem, no entanto, participar efetivamente da Equipe Nacional.
Na Assembleia do Regional de 1998 assumiu a coordenação regional o casal Carlindo Paroli Júnior e Tânia Maria Guidone Paroli, e pela primeira vez o RO2 se fez presente em uma Reunião do Conselho Nacional , em Brasília DF, em março de 1999. Neste mesmo ano foram visitadas as dioceses de Rondonópolis e Guiratinga. Também foram mantidos contatos constantes e diretos com todas as dioceses do Regional até o mês de setembro. Em outubro de 1999 com o falecimento do coordenador e , também, a transferência de D. José Foralosso acontece um breve hiato em nossos trabalhos.
A partir do ano de 2000, assumiu como Bispo referencial Dom Canísio Klaus, da Diocese de Diamantino. Desde então a equipe de coordenação tem participado dos encontros Macros Regionais (Rubiataba/Go e Campo Grande/MS) do Congresso Nacional (Curitiba/PR), bem como das Reuniões do Conselho Nacional (Brasília/DF).